*Este post é  uma parceria entre o blog e o museu Alphonse Mucha, em Praga.

Faz pouco que estive em Praga e lá eu busquei por um museu que há tempos tinha vontade de conhecer, o museu do Alphonse Mucha. Eu não sou nenhuma expert em arte, aliás, estou bem longe disso. Mas há algo neste artista que sempre me chamou a atenção, desde que conheci o trabalho dele na época da faculdade.

Quem foi Alphonse Mucha?

Imagen

Créditos da Imagem: Museu Alphonse Mucha

O Mucha era um artista tcheco que nasceu na cidade de Ivancice, mas viveu em Praga por muitos anos. Ele nasceu em 1860 e desde criança já vivia com um giz de cera nas mãos, ele desenhava onde pudesse desenhar. Sem conseguir ser aprovado nas escolas de arte de Praga, Mucha começou a desenhar caricaturas nas ruas. Aos 19 anos, ele conseguiu um trabalho como artista, ou melhor, designer, antes que esta palavra tivesse sido inventada, em Viena.

As coisas não funcionaram muito bem para ele em Viena, e viajando, enquanto trabalhava, ganhava seus trocados até ser descoberto por uma família na Alemanha! Só então ele conseguiu frequentar aulas nas escolas de arte em Munique e depois em Paris, onde aprimorou suas técnicas e se conectou com os movimentos de arte do final do século 19.

Ele então foi chamado para fazer uma série de painéis decorativos e de repente, a fama chegou! Os painéis caíram na graça do povo e da atriz Sarah Bernhardt, que o contratou para desenhar os posters de suas peças.

Estilo Mucha

A partir daí, ele começou a ser chamado para vários outros trabalhos e ficou conhecido pelo seu estilo romântico e rebuscado, típico da art nouveau. Suas obras são muito detalhadas e orneadas, há muitos objetos decorativos nas cenas e muita sutileza em cada um de seus trabalhos.

Ele dizia que a arte não era para estar nas paredes de um museu para poucos intelectuais verem. A arte deveria ser para todos, e os seus trabalhos podiam decorar e deixar mais bonita até a casa mais humilde do mundo. Para Mucha, a beleza da arte era um jeito de melhorar a qualidade de vida das pessoas e ele acreditava que era seu dever levar a arte para o povo. Deve ser por isso que eu gosto tanto dele!

Com o tempo ele passou a produzir cartazes de publicidade, desenhar móveis, roupas, jóias, enfim, o que quisessem. Ele acreditava nas novas tecnologias (do começo do século XX) para fazer a arte chegar às massas, a um baixo custo. Genial! Afinal, qual o sentido da arte se pouca gente tem acesso a ela?!

Imagen

Créditos da Imagem: Museu Alphonse Mucha

Entre os trabalhos do Mucha, eu tenho uma especial carinho pelos desenhos que ele fez para a marca de papéis para cigarros JOB. Acho que a imagem é linda e é um contraste incrível, eu consigo até imaginar como era Paris em 1898, quando ele fez estes posters. Gosto tanto que carrego comigo uma imagem deste quadro pro resto da vida! 😀 #rebeldia #tattoo #adoro

Imagen

Ah esses jovens tatuados, tsc tsc tsc… 😛

O Museu do Mucha em Praga

O museu do Mucha é um pequeno espaço dedicado à vida e às obras do artista! São 3 salas com alguns dos posters e trabalhos originais dele. O lugar é pequeno, mas dá pra ter uma excelente idéia do seu estilo e das suas obras mais bonitas.

O museu me ofereceu de cortesia os ingressos para conhecer o ambiente, um tour privado para entender melhor a história do Mucha e um belíssimo livro ilustrado com as obras de arte dele. Para mim, foi um presentaço!!! A equipe do museu é muito simpática e se você fizer um tour com a Barbara, vai receber muita informação exclusiva, já que ela é uma especialista na vida e na obra de Alphonse Mucha. Recomendo!

No museu, além de ver os belos trabalhos do Mucha você também vai entender a história do artista, após o período em que ele retornou à sua terra natal. Nesta época, a República Tcheca não existia, era a antiga Tchecoslováquia, e, como bom nacionalista, ele produziu alguns de seus trabalhos mais bonitos categorizados no “Slav Epic”. Foram 20 posters e painéis sobre a cultura, lendas e orgulho do povo tcheco, é lindo de se ver.

Mucha foi um expatriado que sempre buscou estar rodeado de gente de sua terra, tamanho o orgulho que ele tinha de sua cultura. E ao ver e conhecer melhor esta série de trabalhos, tive uma conexão mais bonita com a cidade de Praga e com todo o povo da República Tcheca, é uma interessante imersão cultural que vale a pena sentir se você estiver por lá.

O Museu fica aberto diariamente, das 10h às 18h, e está localizado em Kaunický palác, Panská 7, Prague 1.
É bem pertinho das principais atrações turísticas da cidade, vai lá!

Links úteis para a sua viagem

Aqui vai uma lista com alguns links interessantes para te ajudar com a sua viagem. Se tiver dúvida, é só fazer um comentário que eu responto!

Para encontrar um hotel bom e barato, eu uso o Booking.com. Mas eu tenho alguns truques aqui neste post com dicas para economizar na hora de reservar um hotel.

Outra ferramenta legal para encontrar passeios e tours é a Get Your Guide. Essa é uma empresa que seleciona tours em todo o mundo e você pode reservar os passeios com antecedência sem sair de casa. Os preços deles são ótimos e tem muita coisa em Português! Além dessa, eu uso bastante a Tiqets, que tem a vantagem de dar os bilhetes no celular, sem precisar imprimir.

Para quem viaja de carro, aqui vai um post com dicas para alugar um carro pela Europa. A lógica é parecida para outros continentes. Para comparar as tarifas das locadoras, eu uso o site da Rental Cars que já coloca todos os preços juntos e poupa um tempo danado!

Recentemente eu descobri a Seguros Promo para quem precisa cotar seguro de viagens ao redor do mundo. Como o seguro de viagem é obrigatório para muitos lugares, eles dão boas ofertas e 5% de desconto para os leitores do blog se você clicar neste link aqui.


Booking.com