Se você está pensando em viajar pela Sicília, provavelmente está sonhando com algumas paisagens de filme e praias incrivelmente belas. Mas se você quer realmente aproveitar a sua viagem para a Sicília, é importante saber algumas dicas locais. Assim, você irá evitar algumas gafes e provavelmente sairá de lá apaixonado por esta região tão linda na Itália.

Aqui neste post eu separei algumas informações sobre a cultura, a história e as tradições locais. Com isso você terá mais contexto para entender o que te espera na Sicília. Afinal, é sempre bom ter algumas dicas extras para que a viagem não seja somente uma expedição de Instagram, mas sim, uma imersão num universo completamente novo. Preparado? Então vem comigo ler mais sobre o que saber antes de viajar pela Sicília!

1. Relaxe, afinal, é a Sicília!

Se você não entrar num clima relax, sua viagem para a Sicília pode se transformar de um sonho em um pesadelo! Para quê se estressar? Divirta-se com o trânsito, com os gestos, com a gritaria nos restaurantes, hotéis, bares e na própria rua! Os sicilianos não vão mudar o seu jeito de ser só porque você está estressado, então, relaxe. Principalmente se você quiser dirigir. (O que eu recomendo, até porque transporte público por lá não é bom).

Os Sicilianos estão super acostumados com o caótico trânsito da região, já que cavalos, bicicletas, motocicletas, caminhões e carros disputam os poucos metros de espaço nas avenidas como se estivessem em uma corrida sem fim. Se você não levar este tipo de situação na esportiva, sua viagem não vai valer a pena. Então a primeira dica é, vá preparado para encontrar um caos que de alguma forma se organiza e vai dar tudo certo!

Para saber tudo sobre como alugar carro na Europa, clique aqui.

2. Coma muito, afinal, é a Sicília

A comida local é praticamente uma obra de arte gastronômica. Tudo é muito farto, caprichado, rebuscado e delicioso. A comida italiana ali tem um sabor diferente, mais forte, mais encorpada, apimentada. Na dúvida, leva um anti-ácido na bolsa porque você pode precisar!

Entre os pratos mais famosos do menú típico siciliano, recomendo provar a arancina, panelle, cazzilli, caponata melanzane e a milza maritata (tem quem ama, tem quem odeie).

Minha experiência com a “Milza Maritata“: Entramos no restaurante e tinha uma fila tão grande de clientes esperando pelo sanduíche que resolvemos experimentar também. A cara do sanduba era bonita, o cheiro também. Todo mundo parecia comer aquele sanduíche com muita fome! Era cada mordida volumosa que minha boca encheu de água ao olhar para o prato quando recebi a minha Milza Maritata. Abro a boca com tudo, abocanho o maior pedaço que podia mastigar e corta pra cara de sofrimento. Que decepção! Era um sanduíche de baço. BAÇO!!! Era quase como comer parafuso enferrujado. Eu odiei. Mas ok, há quem goste, é especialidade da casa, é muito apreciado pelos sicilianos. Definitivamente, comer baço não é pra mim. Mas se você teve outra experiência, conta pra mim nos comentários! 😉

Milza Maritata | O que fazer em Palermo
Milza Maritata | Imagem:  Giovanni | Adobe Stock

Em Palermo, seguimos a dica de um amigo de lá e fomos ao restaurante “Antica Focacceria di S. Francesco” (abaixo na foto), que desde 1834 serve o menú típico siciliano. Arancina, panelle, cazzilli, caponata melanzane e muito mais. É comida que não acaba nunca! Recomendo que você prove tudo isso.

3. Máfia é um tema sensível. Respeite, é a Sicília.

Muita gente tem curiosidade sobre o tema, talvez por causa dos filmes de Máfia tão popularizados por Hollywood. A verdade é que máfia é um tema bastante delicado na Sicília.

Em 1992, na estrada A29 que liga Palermo a Messina, foi o último atentado do grupo mafioso “Cosa Nostra”, contra o juiz Giovanni Falcone, conhecido por sua atuação anti-máfia. Uma bomba explodiu o carro que levava o juiz, sua esposa e mais 3 agentes  na estrada. Esta foi a gota d’água que fez com que as autoridades finalmente buscassem erradicar o poder da máfia na região. O lugar do atentado hoje possui um monumento e é comum ouvir buzinassos por ali quando os motoristas passam pela região. É uma espécie de benzedeira para lembrar a todos o que passou por ali há poucos anos e afirmar que a luta contra o crime organizado continua. Mas esta é uma luta complexa.

Pra se ter uma ideia, em muitos estabelecimentos há um adesivo igual o que se vê na foto abaixo. Está escrito “Consumo Crítico – Addio Pizzo”. Este adesivo representa a luta dos sicilianos contra o “Pizzo”, a cota ilegal de dinheiro que era exigida pela máfia para que o comerciante pudesse funcionar. O movimento contra o pizzo provocou uma mudança no comportamento siciliano, que deixou de tolerar a extorsão provocada pelo crime organizado. Os estabelecimentos que adotam o símbolo “Addio Pizzo” são comprometidos a lutar pelo fim do controle da máfia com o intuito de obter uma economia livre deste abuso. O movimento começou em 2004, data em que pouco se ouvia falar de máfia e de pizzo, mas cujas pesquisas apontavam que 80% de comerciantes ainda pagavam a extorsão. Aos poucos o movimento foi tomando força e hoje é possível conhecer um mapa dos estabelecimentos livres e apoiar a causa. Se quiser entender mais, o site deles é este aqui: Addio Pizzo.

Sabendo disso, é bom evitar este tema por lá e respeitar a cultura local. Assim você não será aquele turista mala que só ficou curioso pra saber mais.

4. A fé e o catolicismo são parte do DNA Siciliano

A religião é outro tema presente na cultura siciliana, que pratica o catolicismo com muita paixão. Sua fé emociona, e as procissões nas datas santas são eventos que valem a pena conhecer. Eu estive lá na Páscoa e vi uma procissão. É de chorar, independentemente de sua crença ou motivação religiosa.

Homens impecavelmente vestidos carregam a imagem de Maria nos ombros, em movimentos sincronizados conduzidos por um maestro que avalia cada passo com cuidado para garantir a perfeição da via crucis. Ao som de uma orquestra tradicionalíssima, cada momento é uma tensão e uma tristeza profunda, levando a todos a pensar no dia da crucificação de Cristo. É de arrepiar. Mesmo que você não seja católico, vale a pena parar uns minutos para observar o evento que a própria população protagoniza. Eu fiquei de boca aberta.

o que fazer em Palermo
Palermo | Procissão de Páscoa | Imagem: Juliana Guimarães

5. A família Siciliana

Na Itália, de forma geral, a família é uma instituição de peso. A Mamma é o núcleo e talvez a grande responsável por preservar as tradições familiares na Itália. As “mammas” italianas são conhecidas pela presença – por vezes exagerada e constante – na vida de seus filhos.  Domingo é o dia da família, com raras exceções. Aos domingos a mamma (e a nonna) se reúnem para cozinhar as delícias italianas para filhos, netos, genros, cunhados e tudo quanto é família possível. Aliás, em algumas partes do Brasil também temos este costume, e na minha opinião é graças à herança italiana que foi deixada em nossa cultura. Grazie Mille, Italiani! Se você conhece alguma família na Itália, seja cara de pau e se convide para um almoço de domingo… vale tudo pela pasta!

Ok, se na Itália o domingo em família é importante, na Sicília a importância é o dobro. Mesas para 30 pessoas de uma única família dividem espaço nos restaurantes com casais de turistas ou gente que não faz a menor idéia do que significa domingo siciliano. (Tipo eu, antes de ir pra lá).

É comum ainda ver tudo que é lugar fechado, inclusive restaurantes, porque é Domingo e todo mundo está em casa celebrando o dia em família com direito a algumas horas de comilança ao quadrado. Portanto, planeje a sua visita sabendo que boa parte dos locais de seu interesse podem ter horário reduzido ou fechado no domingo.

Bom, com estas dicas, eu espero que a sua viagem pela Sicília seja repleta de experiências inesquecíveis! Lembre-se de que para uma boa viagem, é bom começar com um bom planejamento! Aqui neste link tem dicas sobre o que fazer em Palermo, a capital da Sicília. Já aqui tem dicas sobre Messina e Taormina e aqui vão dicas sobre a Catânia. E se precisar de mais dicas, fique à vontade em mandar uma perguntinha aqui nos comentários!.

Links úteis para viajar pela Itália

Aqui vai uma lista com alguns links interessantes para te ajudar com a sua viagem pela Itália. E se pintar alguma dúvida, já sabe, mande uma mensagem aqui no blog que será um prazer te responder!

Antes de mais nada, veja alguns roteiros interessantes escritos para quem vai pra Itália:

Além destes roteiros, aqui vai uma lista com dicas de algumas cidades:

Claro que tem muito mais posts, então para ler todos os posts sobre a Itália, é só clicar aqui neste link.

Se você vai viajar de carro pela Itália, talvez valha a pena dar uma lida neste post com dicas para alugar um carro pela Europa. Lembre-se de que o trânsito na Itália é meio nervoso e talvez seja prudente olhar com antecedência as tarifas das locadoras e comparar seguros, preços e condições. Sugiro sempre comparar pelo site da Rental Cars que já coloca todas as locadoras de uma vez juntas.

Recentemente eu descobri a Seguros Promo para quem precisa cotar seguro de viagens ao redor do mundo. Achei os preços deles ótimos e eles dão 5% de desconto para os leitores do blog se você fizer o seguro através deste link aqui.

Procurar um hotel na Itália pode ser meio complicado, aqui vai uma lista com as melhores opções de hotéis para ficar em algumas cidades italianas:

Se ainda assim precisa de ajuda, eu fiz este post com algumas dicas para economizar na hora de reservar um hotel. Eu sempre recomendo o uso do Booking.com como ferramenta para comparar tarifas e reservar as melhores ofertas.

Outra ferramenta legal para encontrar passeios e tours é a Get Your Guide. Essa é uma empresa que seleciona tours em todo o mundo e você pode reservar os passeios com antecedência sem sair de casa. Os preços deles são ótimos e tem muita coisa em Português, como por exemplo, este tour completo do Vaticano.

Finalmente, quem estiver viajando pela Itália, não pode perder a oportunidade de comer um “Aperitivo“, que é tipo a nossa "happy hour" mas com comida grátis inclusa - ou quase grátis. E claro, ninguém pode deixar de provar a pizza na Itália, né?