Um dos lugares mais bonitos que conheci é a queridinha Amsterdã, paraíso dos descolados, moderninhos e hipsters pelo mundo. É também paraíso dos bike lovers, já que a bicicleta é o meio de transporte mais utilizado por lá. Eu sempre vi fotos, vídeos e textos interessantes sobre como Amsterdã se tornou tão acessível para a bicicleta, mas uma vez lá, entendi tudo: canais por toda a cidade, ruas estreitas e muita, muita, muita gente circulando. Com um pouco de vontade política e necessidade por um trânsito melhor, Amsterdam se converteu na capital da bicicleta.

onde ficar em Amsterdam

Para quem tem pouco tempo e quer conhecer Amsterdã, é possível visitar e se apaixonar pela cidade, fazendo um passeio sem pressa e entrando no clima. A proposta aqui é se divertir e conhecer aquilo que a cidade tem de melhor, sem se preocupar em conhecer tudo, já que o tempo é curto. Nos dividimos entre poucos passeios turísticos e passeios  “locais”, espero que você também goste e aproveite muito a sua viagem!

Onde fica Amsterdam no mapa?

Fica bem no meio da Holanda, na parte norte da Europa. A Holanda faz fronteira com a Bélgica, ao sul e com a Alemanha, a leste. É sempre uma boa idéia pensar em um roteiro que seja fácil entre estes países, como por exemplo Bruxelas, Bruges e Amsterdam, ou quem sabe Amsterdam, Berlim e Munique? Enfim, pense em locomover-se nos arredores, porque, apesar de ser pequeno, perder tempo em avião é bem chato!

Como chegar em Amsterdam?

Chegamos a Amsterdam em trem, e nosso ponto de partida foi Bruxelas, na Bélgica.  Usamos o site www.raileurope.com.br para comprar os bilhetes, que foram impressos em casa mesmo. Conseguimos um preço MUITO bom,  somente 15 euros por pessoa, no sistema “Thalys” para trens internacionais. Se você comprar com antecedência pode conseguir ótimos descontos também, no site sempre há anúncios de promoções. 🙂

O que fazer em Amsterdam?

Nossa visita foi curta, mas intensa! Para entender como é a vida em Amsterdam, você deve caminhar e pedalar. Muito! Para quem tem pouco tempo em Amsterdam, não entre naquela correria de ver o máximo de atrações turísticas. Aproveite para relaxar e aproveitar a cidade observando os detalhes! Amsterdã não é só para ser vista, deve ser apreciada.

1. Use suas pernas

Perder-se pelas ruas e canais de Amsterdã é uma delícia. Nós reservamos uma tarde para caminhar aleatoriamente pela cidade, evitando espaços lotados e cheios de turistas. Assim, tivemos a oportunidade de ver um pouco a cidade como se vivêssemos ali. Entramos em lojinhas diferentes, brechós e mercadinhos que oferecem os mais variados produtos para a vida local. De maneira geral, o pessoal de lá gosta de consumir produtos frescos, alimentos orgânicos e valorizam muito os produtos artesanais. Senti uma certa nostalgia em alguns lugares, como se tivéssemos parado no tempo.

Uma rede de supermercados interessante é o MARQT, com produtos premium e super especializados. Lá tivemos a oportunidade de ver (ou seja, ler as figuras!) alguns produtos que só vendem nesta região, como geléias especiais, queijos, biscoitos e cosméticos que só eles entedem. Foi lá que vi para vender um suco de açaí!!! Oi?! Produto amazônico?! Não, inglês. Mas o açaí não é protegido? É… Será que pode fazer isso, gente? Hmm… Só divagando mesmo…

2. O Museu de Anne Frank

Eu quando criança soube da história e, apesar de nunca ter lido o livro, sempre quis conhecer o museu de Anne Frank.  Sempre tive curiosidade de ver como era o lugar em que ela e sua família viveram e se esconderam durante a segunda guerra mundial. É de arrepiar.

Para quem não conhece a história, trata-se de uma garotinha judia de 12 anos que, junto com sua família, teve que se esconder numa casa durante a invasão nazista. Anne passou a escrever sobre a rotina do refúgio em seu diário, que virou livro alguns anos mais tarde: o diário de Anne Frank. Depois da visita, compramos o livro. Lá tem a tradução em várias línguas e você pode encontrar várias versões e edições especiais do diário.

No museu há toda a história da família, os dramas e principais episódios que eles passaram dentro do refúgio, até serem descobertos. Prepare-se para chorar, ver gente chorando e entrar num silêncio profundo. Sem dúvida foi um episódio muito triste de nossa história que merece ser visto, visitado e comentado.

A casa de Anne Frank é uma das principais atrações de Amsterdam, está sempre com uma fila gigante, portanto, se você quiser garantir um lugar e não esperar muito tempo, vá bem cedo. O museu abre às 9h da manhã e até outubro fica aberto até as 21h.

Preço: 9 euros /adulto
Site: http://www.annefrank.org

3. O Flower Market

O Flower Market é interessante, é uma feirinha de flores, tulipas e bugigangas holandesas. Lá é possível encontrar vários tipos de tulipas, cultivadas ou semi-cultivadas e segundo eles, são espécies preparadas para exportação, ou seja, teoricamente se pode levar para outros países. Mas eu não testei! Se quiser levar para plantar no Brasil, descubra antes se é permitido!

Imagem

 4. Heineken Experience

Meu marido é fanático por Heineken. Depois de passar o dia caminhando e explorando a cidade, resolvemos finalizar o dia na Heineken Experience, bem passeio de turista mesmo. Para quem gosta da cerveja, é ótimo passar por ali para conhecer a história da cervejaria, o processo de produção e claro, fazer uma degustação. 🙂 O Heineken Experience permite, como o nome já diz, uma experiência de marca interessante. Há bastante interação com o staff e com a tecnologia que existe no espaço, entre jogos, vídeos, músicas, tudo convergindo para o ambiente virtual. Ao menos eles garantem uma bela base de dados e os clientes se divertem com a marca. No final saímos de lá com dois copos Heineken e muita cerveja degustada! 😀 Aprovado!

 

5. O Bairro Vermelho

O Bairro Vermelho é exatamente aquilo que escutamos falar: turismo sexual ao extremo. É lá que as garotas – e alguns garotos – estão expostos na vitrine para que os clientes vejam e escolham o produto. Aquele que se interessar, entra na “lojinha” e negocia o preço do programa. Passamos por lá a noite, no caminho de volta para o hotel e a essa hora o mercado é grande. Além da enorme prostituição, há muitos sex-shops e algumas coffee shops a pleno vapor – ou plena fumaça. Confesso que eu me senti muito constrangida passando por ali, não concordo com esta exposição tão dramática das pessoas que trabalham ali. Também entendo que não há muita diferença entre esta prostituição e qualquer outra em qualquer outra esquina de qualquer outra cidade, mas é chocante ver mulheres expostas em vitrine, vendendo seu corpo. Me lembrei de um vídeo que vi uns meses antes de viajar, aqui abaixo! De qualquer modo, passar pelo bairro vermelho faz parte da experiência de contrastes de Amsterdam, vá já sabendo o que te espera.

6. Pedale!

Deixamos a bike para o segundo dia de Amsterdã e foi uma ótima decisão. Conseguimos visitar pontos mais distantes da cidade e nos divertir muito! Estivemos algumas horas no Vondelpark, um parque delicioso onde aproveitamos para descansar e falar da vida, deitar na grama e olhar os patos no lago. Quando o dia está bonito, as pessoas entram num clima de felicidade que contagia! Fazem picnics nos parques, há cachorros e crianças correndo, amigos se divertindo e curtindo a natureza, agradecendo ao sol que finalmente brilha e esquenta a cidade! De Bike também fomos ao Rijksmuseum e ao parque que fica justo em frente, onde está a placa “IAmsterdam” e nos perdemos algumas vezes entre canais e ciclovias: DELÍCIA! Entre pedaladas, risadas, pausa para comer e descansar da comilança, o dia passou rapidinho!

Imagem

Como alugar uma bike em Amsterdam?

Há várias lojas de aluguel de bike pela cidade, nós alugamos duas bicicletas do “Green Budget Bikes”, por 11 euros a diária (24h). Não tivemos problemas em entender como funciona o tráfico de bicicletas e a lógica das ciclovias. A preferência no trânsito é sempre do ciclista e os carros respeitam isso. Há ciclistas por todo o lado, há bicletas empilhadas por toda a cidade. A maioria é bicicleta urbana, daquelas com o guidom alto e cestinha na frente. Há quem leve seus filhos nas cestinhas, em caixotes ou cadeirinhas atrás da bicicleta.

Se você quiser pedalar também, lembre-se:

  • Respeite o pedestre, ele tem prioridade.
  • Fique atento ao sentido da ciclovia, normalmente há faixas duplas, mas há algumas vias de sentido único.
  • Não use fones de ouvidos, você deve estar atento ao trânsito.
  • Cadeado, sempre. Há poucos furtos de bike, e eles acontecem no caso de alguém deixar a bicicleta solta. Sempre tranque a bicicleta, há estacionamentos de bike por todo canto.
  • Beba água!

Onde comer em Amsterdam?

Este foi um fim de semana bastante intenso em Amsterdam, e claro, aproveitamos para sair da dieta! A comida lá é variada, tem de tudo. Nós resolvemos explorar restaurantes por conta própria, sem pesquisar no tripadvisor desta vez e o resultado foi quase perfeito, veja nossas dicas:

O’Donnell’s ✮✮✮ Para petiscar a noite, barato e muita comida. Nota 8.

É um Pub Irlandês, e segue o propósito de Pubs: Cerveja, Rock and Roll e ambientes escuros. É para petiscar e jogar conversa fora. Tínhamos acabado de sair do Heineken Experience, estávamos com vontade de comer porcaria e tomar cerveja. Pronto, o Irish Pub funcionou. Pedimos uma porção gigante de nachos (oi?) bem gordinhos, com queijo Cheddar, frango e todas estas porcarias que juntas são deliciosas.
O preço para ambos, com bebida e sobremesa (Petit Gateau!!) foi EUR18.
Tá bom, né?

Endereço: Ferdinand Bolstraat, 5

De Saloon ✮✮✮✮
Para comer trash e ser feliz! Nota 9,5!

É um bar/lanchonete com cara de pub, staff atencioso e hamburguers XXL.  Se pedir com batata frita e salada custa o dobro, mas é batata e salada XXL. Não conseguimos comer tudo, a comida é suculenta, vale muito a pena! Se o tempo estiver bonito, clientes disputam a tapa um lugar ao sol. Nós nos sentamos dentro do bar mesmo, quase um atendimento VIP. Fica bem pertinho do  Rijksmuseum.

Endereço: Korte Leidsedwarsstraat, 102

Prins Heerlijk ✮✮✮✮
Brunch de primeira, delicioso! Nota 10!

É uma cafeteria aconchegante que oferece várias opções para uma café da manhã mais reforçado, mas fica aberto até as 23:30! O Staff é hiper simpático, o ambiente é acolhedor, a comida é maravilhosa, bem servida e o preço é justo. Pela qualidade e quantidade de comida, vale o que custa. Detalhe no menu, talhado na madeira! Lindo, né?

Endereço: Prins Hendrikkade, 57

Onde dormir em Amsterdam?

A hospedagem em Amsterdam pode ser bem cara. Nós buscamos várias opções e todos os lugares do centro tinham um preço exagerado em relação ao serviço oferecido. Foi aí que decidimos arriscar e ficar em um hotel longe do centro. DICA: Nossa opção foi o NH Galaxy, um ótimo hotel e que contava ainda com um serviço de shuttle a cada 15 minutos para o centro de Amsterdam. Foi o que nos salvou, pois gastaríamos uma boa grana com transporte até o centro da cidade. Para ver o hotel no Booking.com, clique aqui.

No nosso caso valeu a pena, já que o preço da diária do mesmo hotel NH no centro seria quase o dobro! Pesquise antes e se você achar que vale a pena economizar, este hotel oferece uma ótima relação custo X benefício! 🙂

 

Links úteis para a sua viagem pela Holanda

Viajar para a Holanda é como entrar num filme de época! Você vai amar cada segundo da sua viagem pelo país! Para ajudar, aqui vão alguns links para o planejamento da sua viagem:

1. Outros artigos úteis para ler aqui no nosso site:

Sempre atualizamos nossos artigos e queremos que você aproveite ao máximo a sua viagem! Estes textos podem ajudar a esclarecer alguns pontos na sua viagem pela Holanda.

– Roteiro de Viagem pela Holanda: a Rota Perfeita
– Trajeto do aeroporto ao centro de Amsterdam
– 10 coisas para fazer em Amsterdam
– Qual a melhor época para visitar a Holanda?
– 7 Delícias para comer na Holanda: os pratos típicos Holandeses

Para ler todos os nossos textos sobre a Holanda, clique neste link aqui.

2. Ingressos das atrações turísticas mais importantes

Para comprar ingressos das atrações na Holanda, eu recomendo buscar os bilhetes pela Tiqets. Você compra os bilhetes das atrações e eles já aparecem no seu celular. Ou seja, é só mostrar a tela com o seu bilhete e pronto. Sem fila, e sem papel, uma maravilha. 

Entre as atrações mais importantes, aqui vai a nossa lista de “must do” na Holanda:

– Heineken Experience
– Museu do Van Gogh
– Museu de arte Rijksmuseum
– Parque das Tulipas Keukenhof

Para reservar Transfers e Guias na Holanda, eu recomendo a GetYourGuide. Eles são outra empresa holandesa que oferece tours de experiências e guias privados. Na imagem abaixo você consegue olhar mais informações.

3. Reserva de Hotel ou AirBnB

Eu sempre reservo tudo pelo Booking.com, que além de ter várias promoções, tem a possibilidade de cancelamento gratuito até dias antes da sua viagem. Aqui tem um post com dicas de melhores bairros e hotéis para ficar em Amsterdam. Se você prefere AirBnB, tem vários apartamentos e quartos legais na Holanda. Neste link você ganha descontos na sua hospedagem pelo AirBnB.

– Link para reserva da hotéis no Booking.com
– Link para descontos no AirBnB

4. Transporte da Holanda

Para quem viaja de carro na Holanda, aqui vão as nossas dicas para alugar um carro no exterior. É importante ter alguns cuidados e neste link vai o passo a passo.

5. Seguro Viagem para a Holanda

Na Europa, o seguro de viagem é obrigatório. Eu recentemente descobri a Seguros Promo para cotar seguro de viagens, eles dão boas ofertas e de 5% a 20% de desconto para os leitores do blog. Basta clicar neste link aqui.