Rabat foi um dos destinos em nossa visita ao Marrocos. Conhecemos diversas atrações da capital e caminhamos bastante durante dois dias bem intensos. Por isso resolvemos colocar aqui neste post as dicas de 10 coisas para fazer em Rabat.

Fundada em 1150, Rabat é a atual capital do Marrocos e uma das quatro cidades imperiais do país. As outras são Fez, Meknès e Marrakech.

Saiba mais sobre Marrakech aqui.

Rabat é a cidade de maior importância administrativa e política do país. Por isso mesmo o turismo não é tão explorado em Rabat, o que a deixa com um clima mais tranquilo para passear.

As principais atrações de Rabat estão organizadas próximas à Antiga Medina e à Orla, então caminhar por lá é uma ótima opção.

Rabat é a segunda maior cidade do país, com um clima é super agradável. Há temperaturas amenas tanto no inverno quanto no verão. As máximas chegam a 25° em Agosto e no inverno é bem comum chover.

Reconhecida pela UNESCO pela mistura entre o moderno e o tradicional, Rabat é um convite para se surpreender com as amplas e organizadas avenidas, com a brisa do mar, e o povo acolhedor. Você certamente irá se apaixonar por Rabat!

Localização

Rabat possui seus principais pontos turísticos no centro antigo, ou seja, a Medina, e no eixo mais próximo do Rio Bu Regregue. Nesse mapa localizamos as principais atrações listadas aqui, além de outros pontos de interesse para facilitar sua viagem.

10 Principais Atrações de Rabat

1. Antiga Medina

A Medina de Rabat é pequena, organizada, limpa e tranquila. Está cercada por muralhas e existem algumas portas principais de acesso. Isto é, em pouco tempo você pode cruzar suas avenidas internas e conhecer seus becos.

Quando a visitamos, muitos dos comércios e ruas estavam em obras de restauração. Havia então muito cuidado com sombreamento para os visitantes. Pela Medina você encontrará muitas portas super decoradas e diversos portais maravilhosos, sem dúvida uma das melhores 10 coisas para fazer em Rabat.

A medina é formada por quatro ruas principais internas. A continuação da Av. Mohammed V (comida de rua e acesso às principais Riads), a primeira paralela Zanqa Sidi Fateh (comércio local de tecidos), a rua de conexão Souika (produtos diversos) e a rua des Consuls (artesanato e souvenirs). Nesta última ainda existe uma fonte de água com um trabalho de madeira e cerâmica muito bonito, ou seja, vale a pena passar algumas horas por lá.

2. Torre Hassan

Edificada por Ya’qub al-Mansūr no século 12, a Torre Hassan faz parte de um projeto não concluído, que tinha a intenção de ser a maior Mesquita do Reino do Marrocos, com 400 colunas e 84m de altura. Contudo, a mesquita não conseguiu a proeza. As maiores mesquitas do Marrocos são a Koutoubia em Marrakech e a Giralda de Sevilla, projetadas pelo mesmo arquiteto.

Muito do que sobrou da obra foi destruída pelo grande terremoto de 1755 de Lisboa, mas hoje ainda é possível ver um conjunto de colunas em ruínas.

3. Mausoléu de Maomé V

Uma das 10 coisas para fazer em Rabat é conhecer o mausoléu do rei Mohammed V e do rei Hassan II, respectivos avô e pai do atual rei do Marrocos. É certamente uma extravagância de arquitetura e arte marroquina, construído em mármore, com uma decoração luxuosa e refinada.

Sua fachada branca e telhado verde é, junto da Mesquita ao lado e da Torre Hassan à frente, um ícone da cidade. No entanto, a mesquita permite acesso somente a muçulmanos.

A única Mesquita em que se permite a entrada de turistas não-muçulmanos é a Hassan II, localizada em Casablanca.

Mausoleu de Rabat
Mausoleu de Rabat. Imagens: Mariana Guimarães

4. Av. Mohammed V

Esta é uma elegante avenida, repleta de palmeiras e fontes. Sem dúvida é um lugar super agradável para ser vista de cima e de caminhar por entre seus restaurantes. Nela está a sede do parlamento, a estação ferroviária, bancos, lanchonetes, cinemas, lojas e museus.

Rabat

5. Museu Mohammed VI

O Museu Mohammed VI é o Museu de Arte Moderna e Contemporâneo. Inaugurado em 2014, na parte nova da cidade, possui uma arquitetura singular, projeto do arquiteto marroquino Karim Chakor. Em seu interior estão expostas obras de 200 artistas locais. É sem dúvida um dos locais que vale a pena conhecer.

Rabat

6. Kasbah dos Udaias

Ponto de encontro entre o rio e o Oceano Atlântico, o Casbá sempre foi um importante lugar da cidade. Essa fortaleza muralhada, com ruas estreitas e fachadas azuis e brancas, formam uma identidade forte ao lugar! Ou seja, é ponto obrigatório para conhecer em Rabat.

Perca-se pelos becos e labirintos e vá até o grande terraço, que dá acesso à praia e tem uma vista linda da orla. O local tem horário reduzido de visita, mas a entrada é livre. Atenção com guias não credenciados que podem ser um inconveniente ao passeio.

Dentro do Kasbah, você ainda pode conhecer o Jardim Andaluz e o Museu de Artes Decorativas de Rabat, com mostras de jóias e outras coleções. Leva o nome da tribo Oudayas que defendeu Rabat de piratas andaluzes.

7. Praia e Farol de Rabat

A orla de Rabat é extensa e cheia de clubes particulares. A partir do Kasbah, em direção ao Farol de Rabat, você pode descer até a orla e relaxar com o barulho das ondas ou ainda curtir esportes mais radicais. Ou seja, tem opção de fazer Stand-up Paddle, Caiaque, Surf, Windsurf e tem até Jet ski para locação.

8. Orla do Rio Bu Regregue

No norte da cidade, no limite com Salé, está a orla turística do Rio Bu Regregue. Esta é uma orla pequena e agradável, com vistas para as grandes muralhas da cidade: o Kasbah e a Medina. Sem dúvida um lugar único para conhecer no Marrocos.9

Existem diversas ruas que dão acesso à Orla e nela você pode saborear sucos de laranja, tomar um café em um barco pirata, caminhar nos decks, e fazer uma travessia nos famosos barcos azuis.

9. Marina fluvial de Salé

A Marina Salé foi inaugurada em 2008, com a pretensão de ser um centro de lazer. Conta com áreas de alimentação, entretenimento, uma frente residencial e hoteleira e pode acomodar até 240 embarcações, ou seja, é enorme! A curta travessia entre Rabat e Salé custa 50 centavos de Dihram por pessoa.

10. Jardim Nouzhat Hassan

Apelidada de cidade dos jardins, Rabat é uma cidade cheia de praças e parques. Mas o Jardim Nouzhat Hassan é o mais antigo parque da cidade, de forma triangular, e possui uma massa florestal, fontes e jogos infantis. Aberto todos os dias ao público, este jardim é o pulmão verde de Rabat e fica logo em frente às muralhas da Medina.

Rabat fora da rota convencional

Para quem está com um pouco mais de tempo em Rabat, recomendamos ainda estes outros pontos turísticos.

1. Catedral de São Pedro

Situada na Praça de Golan, entre a Torre Hassan e a Av. Mohammed V, a Catedral de São Pedro foi edificada em 1930 em pedra branca, em estilo neogótico. É um dos poucos lugares de culto católico no Marrocos, ou seja, uma vísita no mínimo interessante.

A duas ruas dali, está uma pequena e agradável praça cercada de cafés, a Praça da Galeria de Artes Espace Expressions CDG, a qual vale a pena gastar algumas horas repondo as energias nestes cafés.

2. Palácio Real – Dâr-al-Mahkzen

O Palácio Real não permite acesso aberto ao público, mas é um importante complexo arquitetônico da cidade. É a sede do governo, onde trabalham mais de dois mil trabalhadores. Inclui uma área administrativa, uma mesquita, um colégio e uma zona residencial para os funcionários.

Rabat
Palacio Real Rabat. Imagem: tinasdreamworld | Adobe Stock

3. Porch door Alruah

Conhecida como Porta dos Ventos, é a porta mais importante da cidade, localizada ao sul, próxima do Palácio Real.

A muralha amóada foi construída em 1197, é decorada em pedra e possui 28m de largura e 12m de altura. Inclusive, ela conta com uma galeria de exposições temporárias de entrada gratuita. Certamente é um lugar para visitar!

4. As ruínas de Chellah

Afastada do centro de Rabat, Chellah é uma antiga fortaleza edificada em 1339, onde você encontrará vestígios romanos e monumentos árabes.

Suas ruínas revelam casas, hammam, escola, mausoléu, fórum, mercado e jardins. Hoje o espaço é compartilhado entre turistas e ninhos de cegonhas, enfim, um lugar único.

Ruinas de Chellah Rabat
Ruinas de Chellah. Imagem: kessudap | Adobe Stock

5. Complexo artesanal Oujla – Salé

Salé é conhecida pelos talentosos artesãos que trabalham com texturas em diversos materiais. A produção cerâmica é levada para diversas cidades do país e para o exterior.

O complexo artesanal Oujla possui rústicos ateliês de cerâmica, com preços bastante atrativos. No entanto, o acesso é extremamente difícil. Se você estiver de carro, ou com um táxi privativo pelo dia, a ida ao local pode compensar. No nosso caso, foi uma caminhada longa e cansativa, ou seja, não compensou tanto assim.

6. Festival de música Mawazine

Iniciado em 2001, este festival de 9 dias de show é importante para a cena cultural do Marrocos. Patrocinado pelo Rei, o festival recebe mais de 2 milhões de espectadores por ano.

É um encontro de música árabe e africana, primeiramente. Contudo, há muitas performances internacionais também. Artistas como Stevie Wonder, Elton John, Shakira, Whitney Houston, Ziggy Marley, Sting e Carlos Santana já passaram pelos palcos. Clique aqui para saber mais sobre o festival de música Mawazine.

Como chegar na capital Rabat?

Estação de Trem – Rabat Ville

Localizada bem no centro da cidade, de super fácil acesso, a Estação de Trens Rabat Ville é moderna e um importante elemento de conexão entre as outras cidades do país. Mas não confunda com a Estação Rabat Agdal, que está bem longe.

Trem Rabat
Nós dois no trem!

Estação de ônibus – Gare Routiére

Estação de ônibus, a aproximadamente 5 km do centro, de fácil acesso.

Aeroporto

O Aeroporto está localizado em Salé a 10km do centro de Rabat, ou seja, é relativamente perto. Mas há um serviço de traslado entre o centro e o aeroporto que custa 20 dihrams, o Stareo Bus, em frente à estação Rabat Ville). Há também táxis (Grand Taxis), que custam 200 dirhams.

Tram (bonde)

Rabat conta ainda com um sistema interno de transporte, além dos ônibus e pequenos táxis. É o tram, que foi inaugurado em 2011. Oferece uma excelente rota pela cidade e uma conexão até Salé também.

Restaurantes e Cafés

Le Dhow: Este é o restaurante flutuante de Rabat, um barco atracado no Rio, com uma excelente vista. Os preços estão acima da média, mas é bom para ocasiões especiais.

Dar Naji: Restaurante típico marroquino. Ambiente agradável, menu variado, e preços acessíveis.

La Capitale: Um restaurante agradável, com vista panorâmica da Marina Salé, ou seja, bom para viagens mais românticas.

Cafés Carrion Marina: Café com atendimento muito bom na orla da Marina Salé.

Coq Magic: Um dos grelhados mais cheirosos da cidade. É bem recomendado e bem localizado.

La Comédie: Pastelaria cheia de quitutes saborosos na Av. Mohammed V, ou seja, lugar para fazer aquela boquinha rápida.

Café Terminus: Bar panorâmico com excelente vista para a Av. Mohammed V, lindo. Mas com preços acima da média.

Le Bistrot du Pierri: Um dos lugares mais bem recomendados da cidade.

Café Maure: O café mais famoso da cidade, ou seja, parada obrigatória dentro do Kasbah.

Onde ficar em Rabat?

Nós escolhemos ficar na Riad El Bir, em uma das ruas transversais da Av. Mohammed V, dentro da Antiga Medina.

A Riad é super bem localizada e possui uma atmosfera acolhedora. O café da manhã é super completo, com frutas, omelete, uma variedade de pães caseiros, iogurte, sucos, café, chás, biscoitinhos e geléias.

Fomos muito bem recebidos, mesmo com a dificuldade da comunicação (não falamos francês e as funcionárias não falavam inglês). O esforço delas em nos atender era constante! Sem dúvida recomendamos a estadia nesta Riad!

Riad El Bir
Endereço: 18, Rue El Bir, Rabat Médina , Rabat Medina
Reserve com cancelamento grátis pelo site do booking.com

Links úteis para a sua viagem

Aqui vai uma lista com alguns links interessantes para te ajudar com a sua viagem. Se tiver dúvida, é só fazer um comentário que eu responto!

Para encontrar um hotel bom e barato, eu uso o Booking.com. Mas eu tenho alguns truques aqui neste post com dicas para economizar na hora de reservar um hotel.

Outra ferramenta legal para encontrar passeios e tours é a Get Your Guide. Essa é uma empresa que seleciona tours em todo o mundo e você pode reservar os passeios com antecedência sem sair de casa. Os preços deles são ótimos e tem muita coisa em Português! Além dessa, eu uso bastante a Tiqets, que tem a vantagem de dar os bilhetes no celular, sem precisar imprimir.

Para quem viaja de carro, aqui vai um post com dicas para alugar um carro pela Europa. A lógica é parecida para outros continentes. Para comparar as tarifas das locadoras, eu uso o site da Rental Cars que já coloca todos os preços juntos e poupa um tempo danado!

Recentemente eu descobri a Seguros Promo para quem precisa cotar seguro de viagens ao redor do mundo. Como o seguro de viagem é obrigatório para muitos lugares, eles dão boas ofertas e 5% de desconto para os leitores do blog se você clicar neste link aqui.


Booking.com