Se você quer um lugar para quebrar paradigmas, supreender-se com a cultura, emocionar-se com as tradições e comer alucinadamente como se não houvesse amanhã, este lugar se chama Sicília! Maior ilha do mar mediterrâneo, a Sicília é uma loucura, em vários sentidos. Dona de uma cultura milenar, a Sicília preserva suas raízes no centro de suas famílias, ponto importantíssimo na vida do siciliano. Aliás, é sobre a família italiana que vou começar este texto!

A família Italiana

Na Itália, de forma geral, a família é uma instituição de peso. A Mamma é o núcleo e talvez a grande responsável por preservar as tradições familiares na Itália. As “mammas” italianas são conhecidas pela presença – por vezes exagerada e constante – na vida de seus filhos.  Domingo é o dia da família, com raras exceções. Aos domingos a mamma (e a nonna) se reúnem para cozinhar as delícias italianas para filhos, netos, genros, cunhados e tudo quanto é família possível. Aliás, em algumas partes do Brasil também temos este costume, e na minha opinião é graças à herança italiana que foi deixada em nossa cultura. Grazie Mille, Italiani! E se você conhece alguma família na Itália, seja cara de pau e se convide para um almoço de domingo… vale tudo pela pasta!

Ok, se na Itália o domingo em família é importante, na Sicília a importância é o dobro, ainda mais quando se trata de um domingo de Páscoa. Mesas para 30 pessoas de uma única família dividem espaço nos restaurantes com casais de turistas ou gente que não faz a menor idéia do que significa domingo de páscoa siciliano. (Tipo eu, antes de ir pra lá). É comum ainda ver tudo que é lugar fechado, inclusive restaurantes, porque é Domingo de Páscoa e todo mundo está em casa celebrando o dia em família com direito a algumas horas de comilança ao quadrado. Vai lendo…

Onde fica a Sicília no mapa?

É a ilha que fica na ponta da bota na Itália (tá ligado que a Itália parece uma bota,  né). Para chegar lá, pegue um vôo até Roma e depois um vôo interno até Palermo ou Catânia, as maiores cidades da Sicília. Ou vá de barco, já pensou em fazer um cruzeiro nesta parte do mar mediterrâneo?

Minha rota na Sicília

Nesta viagem, passamos a sexta-feira santa, sábado, domingo e segunda-feira de páscoa na Sicília, a qual eles chamam de pasquetta, ou seja, pasquinha – é que o feriado é na segunda-feira, e não na sexta como acontece no Brasil. Nosso roteiro foi bem curtinho mas super intenso, passando pelas cidades de Palermo, Messina e Catânia, aproveitando para conhecer Taormina no meio do caminho.

Imagem

Chegamos pela cidade A, Palermo e de lá fomos para B, Messina, onde passamos a noite. No dia seguinte, conhecemos Messina, Taormina (ponto C) e de noite chegamos a (D)Catânia. Passamos o dia e no fim da tarde voltamos em direção a Palermo, passando a noite em E, Balestrate. Nosso vôo voltava por Palermo no dia seguinte pela manhã.

O que fazer em Palermo?

Palermo é a capital e a maior cidade da Sicília, com pouco mais de 1 milhão de pessoas, em uma ilha que possui cerca de 5 milhões de habitantes. Dá pra imaginar como é saturada esta parte da Sicília. Palermo é uma cidade grande, mas com uma infra-estrutura um pouco inadequada para seu tamanho, o que torna o trânsito um verdadeiro caos – ainda que eu não tenha sentido muita diferença em relação ao resto da Itália. Entre as dicas, a primeira é sentir a vida na Sicília como um siciliano!

1. Relaxe, é a Sicília!

Se você não entrar no clima, sua viagem para a Sicília pode se transformar de um sonho em um pesadelo! Para quê se estressar? Divirta-se com o trânsito, com os gestos, com a gritaria nos restaurantes, hotéis, bares e na própria rua! Os sicilianos não vão mudar só porque você está estressado, então, relaxe. Principalmente se você quiser dirigir (recomendo, até porque transporte público por lá não é bom). Os Sicilianos estão acostumados com o caótico trânsito da região, já que cavalos, bicicletas, motocicletas, caminhões e carros disputam os poucos metros de espaço nas avenidas como se estivessem em uma corrida sem fim. Se você não levar este tipo de situação na esportiva, sua viagem não vai valer a pena.

2. Sorria

Tirando o trânsito, o que senti em Palermo foi uma atmosfera voltada para o bem estar. O pessoal vive e aproveita a vida em outro ritmo, é bonito de ver a tranquilidade dos moradores e o sorriso na cara dos vendedores e pessoas que transitam por ali.

3. Coma

Seguimos a dica de um amigo de lá e fomos ao restaurante “Antica Focacceria di S. Francesco”, que desde 1834 (sim, você leu direito, 1834!!!) serve o menú típico siciliano: arancina, panelle, cazzilli, caponata melanzane e muito mais. É comida que não acaba nunca! Recomendo que você prove tudo isso.

Atenção para o sanduíche da foto abaixo, se chama “Milza Maritata”. Bonito o nome, né? Tinha uma fila tão grande de clientes esperando pelo sanduíche que resolvemos experimentar também. A cara do sanduba era bonita, o cheiro também, mas na primeira mordida eu já tinha me arrependido de ter comido. Era um sanduíche de baço.  Ah vá… BAÇO?! Ok, há quem goste, é especialidade da casa, é muito apreciado pelos sicilianos, mas definitivamente comer baço não é pra mim. (Obrigada @visiteasicilia pela ajuda na tradução!)

Tirando isso, devo fazer juz à fama do restaurante. Apesar do baço que eu não soube apreciar, a comida de lá era deliciosa e devidamente caprichada. Aliás a foccaceria é toda super interessante. Fotos antigas, mobiliário e decoração levam o cliente a uma época distante, vale muito a pena conhecer.

Imagen

4. Conheça a história

O adesivo da porta tem um significado interessante. Está escrito “consumo crítico – Addio Pizzo” e representa a luta dos sicilianos contra o “Pizzo”, a cota ilegal de dinheiro exigida pela máfia. O movimento contra o pizzo provocou uma mudança no comportamento siciliano, que deixou de tolerar a extorsão provocada pelo crime organizado.

Aqueles estabelecimentos que adotam o símbolo “Addio Pizzo” são comprometidos a lutar pelo fim do controle da máfia com o intuito de obter uma economia livre deste abuso. O movimento começou em 2004, data em que pouco se ouvia falar de máfia e de pizzo, mas cujas pesquisas apontavam que 80% de comerciantes ainda pagavam a extorsão. Aos poucos o movimento foi tomando força e hoje é possível conhecer um mapa dos estabelecimentos livres e apoiar a causa. Se quiser entender mais, o site deles é este aqui:Addio Pizzo.

5. Respeite o passado

A máfia é um tema bastante delicado na Sicília. Em 1992, na estrada A29 que liga Palermo a Messina, foi o último atentado do grupo mafioso “Cosa Nostra”, contra o juiz Giovanni Falcone, conhecido por sua atuação Antimáfia. Uma bomba explodiu o carro que levava o juiz, sua esposa e mais 3 agentes  na estrada. Esta foi a gota d’água que fez com que as autoridades finalmente erradicassem o poder da máfia na região. O lugar do atentado hoje possui um monumento e é comum ouvir buzinassos por ali quando os motoristam passam pela região. É uma espécie de benzedeira para lembrar a todos o que passou por ali há poucos anos e afirmar que a luta contra o crime organizado continua.

6. A religiosidade

A religião é um tema presente na cultura siciliana, que pratica o catolicismo com muita paixão. Sua fé emociona, e a procissão que se faz em Palermo na Sexta-Feira Santa é um evento que vale a pena conhecer. É de chorar, independentemente de sua crença ou motivação religiosa. Homens impecavelmente vestidos carregam a imagem de Maria nos ombros, em movimentos sincronizados conduzidos por um maestro que avalia cada passo com cuidado para garantir a perfeição da via crucis. Ao som de uma orquestra tradicionalíssima, cada momento é uma tensão e uma tristeza profunda, levando a todos a pensar no dia da crucificação de Cristo. É de arrepiar. Mesmo que você não seja católico, vale a pena parar uns minutos para observar o evento que a própria população protagoniza. Eu fiquei de boca aberta. Dá uma olhadinha nessas fotos!

ImagenÚltimas dicas sobre Palermo

Na Sicília, vale a pena alugar um carro porque os aeroportos são longe da cidade e a infra-estrutura de transportes públicos deixa a desejar, ou seja, a melhor forma de conhecer a Sicília sem muito estress é por carro. No entanto, dentro das cidades aproveite as pernas para caminhar. Há poucas opções de estacionamento e as placas e sinais de trânsito podem ser bastante complicadas.Para o passeio na Sicília, nós alugamos um carro no aeroporto Falcone de Palermo. Utilizamos a locadora “Sicily by Car” e foi um erro gigantesco. Demoramos duas horas (cronometradas) para receber as chaves do carro – enquanto as outras locadoras entregavam tudo na hora – tivemos que pagar uma taxa extra que nos foi devolvida só uma semana depois, e ao recebermos a chave do carro, tivemos que esperar mais meia hora até que o carro chegasse, porque não estava no aeroporto. Use qualquer locadora menos essa.Dá pra fazer Palermo em 2 dias e pegar a estrada para ir a Messina, no outro lado da ilha. O trajeto são menos de 3 horas, mas meu conselho é fazer a rota durante o dia. Nós pegamos a estrada a noite e foram horas de muita apreensão. Não pela violência, que quase não existe, mas pelo próprio trânsito. Sem iluminação adequada, o motorista perde bastante a visibilidade com a sinalização precária. Caso não haja opção, esqueça o acelerador. Dirija numa velocidade moderada, já que é comum ver avisos de desvio em cima da hora, curva acentuada sem placa, túnel com pouca luz e por aí vai.

Ah, aqui vai o site da Antica Focacceria di S. Francesco. E se você estiver indo pra lá e quiser saber algum detalhe, fique à vontade em perguntar! Vou adorar poder dar umas dicas sobre a linda “Si-tchi-lha”, como se diz por lá!

Links úteis para viajar pela Itália

Aqui vai uma lista com alguns links interessantes para te ajudar com a sua viagem pela Itália. E se pintar alguma dúvida, já sabe, mande uma mensagem aqui no blog que será um prazer te responder!

Antes de mais nada, veja alguns roteiros interessantes escritos para quem vai pra Itália:

Além destes roteiros, aqui vai uma lista com dicas de algumas cidades:

Claro que tem muito mais posts, então para ler todos os posts sobre a Itália, é só clicar aqui neste link.

Se você vai viajar de carro pela Itália, talvez valha a pena dar uma lida neste post com dicas para alugar um carro pela Europa. Lembre-se de que o trânsito na Itália é meio nervoso e talvez seja prudente olhar com antecedência as tarifas das locadoras e comparar seguros, preços e condições. Sugiro sempre comparar pelo site da Rental Cars que já coloca todas as locadoras de uma vez juntas.

Recentemente eu descobri a Seguros Promo para quem precisa cotar seguro de viagens ao redor do mundo. Achei os preços deles ótimos e eles dão 5% de desconto para os leitores do blog se você fizer o seguro através deste link aqui.

Procurar um hotel na Itália pode ser meio complicado, aqui vai uma lista com as melhores opções de hotéis para ficar em algumas cidades italianas:

Se ainda assim precisa de ajuda, eu fiz este post com algumas dicas para economizar na hora de reservar um hotel. Eu sempre recomendo o uso do Booking.com como ferramenta para comparar tarifas e reservar as melhores ofertas.

Outra ferramenta legal para encontrar passeios e tours é a Get Your Guide. Essa é uma empresa que seleciona tours em todo o mundo e você pode reservar os passeios com antecedência sem sair de casa. Os preços deles são ótimos e tem muita coisa em Português, como por exemplo, este tour completo do Vaticano.

Finalmente, quem estiver viajando pela Itália, não pode perder a oportunidade de comer um “Aperitivo“, que é tipo a nossa "happy hour" mas com comida grátis inclusa - ou quase grátis. E claro, ninguém pode deixar de provar a pizza na Itália, né?