Ter a mala furtada é uma experiência dolorosa que não desejo a ninguém. Imagina a situação: você despacha sua mala tranquilamente numa companhia aérea qualquer. Entra para a área do embarque, despreocupado. Espera a fila andar, entra no avião. Passa algum tempo esperando ansiosamente pelo seu destino, seja para curtir suas férias, visitar a família, resolver negócios. Desembarca. Aguarda as malas serem entregues no terminal do seu vôo. A esteira começa a funcionar. Chega a sua mala e… opa! Tem alguma coisa errada com ela!!! Você teve a sua mala furtada!!! O que fazer?!

A mala furtada no vôo da Ibéria

A Michele fez um vôo com a companhia aérea Ibéria, no trecho entre Madri e Paris. Para a sua surpresa, a mala dela foi aberta e roubaram alguns objetos pessoais durante o período em que a bagagem ficou em posse da Ibéria! OMG! Que tenso!

Quando a mala chegou na esteira e ela notou que o cadeado havia sido destruído, a Michele, ainda no desembarque, abriu a mala e verificou que alguns objetos tinham sido roubados durante o período em que seus pertences ficaram em posse da Ibéria!!! UAT?! Gente, é um vôo de 1 hora entre Madri e Paris!!! Como assim!!! Justifica isso, Ibéria!

Bom, agora vem a parte burocrática e a dor de cabeça da coisa toda… A Michele começou bem, ela revisou a mala ainda no desembarque e isso é só o começo dos processos que ela precisou fazer! Dá uma olhada em tudo o que se necessita providenciar em casos como este:

O que fazer quando tiver a mala furtada?

  1. Fazer um relatório de Irregularidade de Bagagem (RIB) no próprio desembarque, junto a companhia aérea responsável;
  2. Fazer um boletim de ocorrência na  delegacia de polícia, fornecendo todos os dados do vôo e detalhes sobre os objetos furtados;
  3. Contatar ambos os aeroportos de origem e destino para formalizar o boletim de ocorrência, preenchendo os relatórios completos de objetos roubados;
  4. Contatar o SAC da companhia aérea e solicitar uma posição da empresa com relação aos objetos furtados e danos sofridos.

Depois de fazer tudo isso, você precisa esperar que a empresa tenha bom senso e resolva colaborar. Nem sempre a postura é amigável e muitas vezes os casos vão parar no tribunal! Já imaginou… Além de toda a dor de cabeça de ter a mala furtada, toda a burocracia que se precisa enfrentar durante a viagem, aquelas horas de fila na polícia, no sac, nos aeroportos para… ter brigar na justiça com a companhia aérea?!

É o que vai acontecer com a Michele. Apesar de ela ter feito tudo certinho, a postura da Ibéria é “sinto muito, nada a fazer”. Lamentável. Eles dizem que a Michele deveria ter declarado os objetos dentro da mala para que a empresa assumisse a responsabilidade sobre os itens perdidos. Mas o que está escrito na Convenção de Montreal, que regula o transporte aéreo de pessoas e bagagens é: “artigo 18: 1. O transportador é responsável pelo dano decorrente da destruição, perda ou avaria da carga, sob a única condição de que o fato que causou o dano haja ocorrido durante o transporte aéreo. 3. O transporte aéreo, no sentido do número 1 deste Artigo, compreende o período durante o qual a carga se acha sob a custódia do transportador.” (fonte: DECRETO Nº 5.910, DE 27 DE SETEMBRO DE 2006)

De qualquer forma, vale a pena tomar algumas precauções antes de despachar uma mala, principalmente se você pensa em enviar objetos de valor dentro dela.

Antes de despachar objetos de valor dentro das malas o cliente deve:

  1. Tirar uma foto dos objetos, para comprovar quais eram e facilitar o reembolso, no caso de roubo;
  2. Solicitar uma “Declaração Especial de Interesse”, um documento que detalha absolutamente todos os itens no interior da bagagem. Somente com este documento é possível receber a indenização integral, em caso de furtos.

O que não levar na equipagem a ser despachada?

Se tiver dúvida sobre levar ou não algum objeto na mala a ser despachada, melhor não levar. É mais fácil prevenir do que remediar. É recomendável, por exemplo, evitar os objetos abaixo na mala grande e carregá-los na equipagem de mão:

  • Objetos frágeis e perecíveis;
  • Medicamentos essenciais;
  • Chaves;
  • Documentos profissionais ou académicos;
  • Amostras;
  • Passaportes ou outros documentos de identificação;
  • Objetos valiosos (como dinheiro, joalharia, metais preciosos, óculos, lentes de contacto, próteses e todo o tipo de dispositivos ortopédicos, computadores pessoais ou outros equipamentos relacionados, telemóveis e outros dispositivos eletrónicos pessoais, títulos negociáveis, valores mobiliários ou outros documentos valiosos).

Dicas para evitar furtos

Como dá pra perceber, esses casos podem acontecer com qualquer um. Portanto, algumas dicas podem ser bem úteis na hora de fechar as malas. Pelo menos, elas podem evitar a ação dos banditos, confira:

  1. Use malas velhas!
    Malas de marca ou sofisticadas chamam mais a atenção dos bandidos. Entre uma mala cara e uma mais baratinha, ele vai optar por roubar quem?! A mais cara, óbvio! Deixe o glamour para outros acessórios e prefira viajar com malas mais basiconas!
  2. Use cores chamativas!
    Coloque tantos adereços quanto possível na sua mala. Uma mala muito discreta é mais fácil de roubar, e pode passar despercebida entre outros funcionários do aeroporto ou cia aérea. Capriche nas fitas, capas de mala e até aqueles plásticos de proteção ajudam a evitar o problema.
  3. Camufle objetos valiosos!
    Se tiver algum objeto de valor, camufle! Coloque dentro do pacotinho de higiene, da embalagem de shampoo, bolsa de calcinhas, enfim, deixe menos pistas para os bandidos! E procure dificultar a ação deles colocando os objetos no fundo da mala, presos por elásticos ou qualquer gambiarra que atrapalhe a ação dos bandidos. Lembre-se que eles agem depressa e se tiver algo atrapalhando a ação, é mais fácil que desistam da sua mala.

Ufa! Tudo anotado?!
Boa sorte e boa viagem!