Imigração na Europa, tire aqui todas as suas dúvidas! Hoje vamos te contar quais documentos necessários para turistas brasileiros fazerem a imigração na Europa.

Roma

No Brasil vivemos em um país continental, ou seja, você pode viajar por 20 horas de carro de Norte a Sul do país e provavelmente não irá cruzar nenhuma fronteira! Mas na Europa não. Como os países são menores, em 2 horas você pode passar por 3 países diferentes, com línguas e culturas particulares. E é isso o que vamos explorar aqui nesse post! Como se preparar para fazer a imigração na Europa e aproveitar ao máximo a sua viagem!

Imigração na Europa

O primeiro passo para não ter problemas com a Imigração na Europa é o planejamento da sua entrada no continente.

Se você for entrar na União Européia como turista, esteja atento para as regras do seu país de entrada. A maior parte dos países da Europa Continental fazem parte do Espaço Schengen. Basicamente é um tratado de compartilhamento das fronteiras, ou seja, uma vez dentro do Espaço Schengen, você pode circular livremente pelos países membros, sem precisar passar novamente pela imigração.

Como o Brasil possui um acordo com os países do Espaço Schengen, você não precisa tirar visto antecipado para visitar estes países como turista, mas as autoridades irão avaliar os seus documentos na hora. Turistas brasileiros podem permanecer no Espaço Schengen como turistas por um período de até 90 dias. E devem apresentar às autoridades da imigração na Europa o seu passaporte, a passagem de volta para o Brasil e algumas outras coisinhas que vamos citar aqui:

1. Passaporte válido para entrar na Europa

Para fazer a Imigração na Europa o seu passaporte brasileiro precisa ter uma validade mínima de 3 meses a contar da sua data de retorno para o Brasil. Por exemplo, se você voltar da Europa no dia 10 de janeiro, o seu passaporte deve ser válido até pelo menos o dia 10 de abril. Se esse limite não for respeitado, certamente a companhia aérea nem te deixará embarcar no Brasil. Portanto, cheque a validade do seu passaporte antes de planejar a sua viagem, pois o prazo para emissão de um novo passaporte no Brasil varia de cidade para cidade e pode demorar.

Para renovar ou fazer um passaporte você precisa agendar uma entrevista na Receita Federal e levar alguns documentos como: o passaporte antigo (se for o caso), CPF, RG, Título de Eleitor, certidão de quitação eleitoral, e para homens, comprovante de quitação com o serviço militar obrigatório.

Veja a lista completa desta documentação para tirar o passaporte no Brasil.

Imigração na Europa

2. Seguro Viagem para a Europa

Cada país tem uma especificação sobre o tipo de seguro exigido para a entrada em seu território. E na Europa o Seguro Viagem é obrigatório. Na verdade, eles pedem um seguro específico do espaço Schengen e isso afeta o tipo de seguro a adquirir.

Basicamente esse seguro deve ter uma cobertura de 30.000 euros em caso de acidente ou doença, além de repatriamento do corpo em caso de morte. Resumindo, eles não querem ter trabalho com turistas que se acidentam no meio da viagem. Uma vez que o sistema de saúde na Europa é muito bem regulado e em sua maioria público, eles esperam não ter que pagar pelos gastos de saúde de todos os turistas que precisem de ajuda. Então, cada vez mais eles têm checado o seguro viagem na entrada do Continente. O seguro é cobrado por dia de estadia e quanto mais tempo você fica, mais em conta ele costuma ser.

Se você já tem uma viagem marcada e ainda não garantiu o seu seguro, aqui nesse link você pode fazer a sua cotação e se você usar o código EUANDOPELOMUNDO5 você recebe 5% de desconto na contratação do mesmo. 😉 De nada!

Primeira vez em Paris

3. Comprovação de recursos

Para fazer a imigração na Europa, as autoridades exigem que você tenha um mínimo de 60 euros por dia de viagem. Isso pode ser comprovado com dinheiro em espécie, travel card ou cartão de crédito internacional.

É sempre recomendado que você leve alguma quantidade em espécie, principalmente para a chegada. Não é em todo lugar que você consegue sacar dinheiro com o travel card, apesar de ser o meio mais seguro. Já o cartão de crédito internacional é uma forma prática, mas também a mais cara, já que você deverá pagar, além o IOF, as taxas de comissão do seu banco.

Eu sempre levo alguma quantidade de dinheiro em espécie, mostro o extrato do travel card para especificar o valor comprado e o cartão de crédito internacional. No fim das contas sempre gasto menos do que os 60 euros por dia, mas o cartão de crédito internacional tá lá para aquela emergência.

A minha recomendação é: antes de viajar, fale com o seu gerente bancário e converse com algumas casas de câmbio. E faça várias cotações! Eu nunca compro na primeira casa de câmbio, sempre tento negociar o valor e decidir pelo melhor preço.

Barcelona

4. Comprovante de hospedagem

É importante que você apresente um itinerário de viagem que comprove as reservas dos hotéis. Ou apresente uma carta-convite de estadia, se ficar na casa de algum amigo ou parente. Neste caso, é importante levar um e-mail impresso para que as autoridades vejam (essa é a carta-convite).

Uma amiga veio me visitar recentemente e não apresentou a carta-convite na hora de fazer a imigração na Europa. Ela passou um belo susto, pois tinha tudo no celular e ela deveria ter tudo impresso. Muitas vezes você deve desligar o seu celular ao passar pela imigração, por isso não conte com o celular.

Eu sempre levo uma pastinha com tudo impresso: passagem de volta, reservas de hotel/carta convite, seguro viagem e passagens internas. No fundo, eles querem apenas comprovar que você não ficará mais do que os 3 meses permitidos na Europa.

Quando não fico na casa de um amigo, sempre avalio as possibilidades de hospedagem pelo booking.com ou pelo Airbnb. Confio muito nos dois e o sistema de busca e reserva é muito fácil e claro. A vantagem do booking.com é que eles oferecem cancelamento grátis na maioria das vezes. Então, se algum imprevisto surgir e você tiver que fazer alguma mudança de última hora, você não perde dinheiro.

Onde ficar em Vaduz

Check list para a sua viagem:

Resumindo, não se esqueça de montar uma pastinha com os seguintes documentos para apresentar na Imigração na Europa:

– Passaporte válido, com validade mínima de 3 meses a contar da sua data de retorno para o Brasil;
– Passagem de volta para o Brasil dentro do prazo máximo de 90 dias a partir da sua ida;
– Reserva de hospedagem ou carta convite;
– Comprovação de meios financeiros para a estadia;
– Seguro viagem.

Passando pela imigração

Se você não fala inglês ou o idioma do seu país de entrada, recomendo que você leve uma cartinha em inglês feita por alguém de sua confiança. Nesta carta, explique que você possui todos os documentos necessários para a entrada na Europa. Tenha a sua pastinha em mãos, desligue o celular, fique tranquilo e boa viagem!

Links úteis para a sua viagem

Aqui vai uma lista com alguns links interessantes para te ajudar com a sua viagem. Se tiver dúvida, é só fazer um comentário que eu responto!

Para encontrar um hotel bom e barato, eu uso o Booking.com. Mas eu tenho alguns truques aqui neste post com dicas para economizar na hora de reservar um hotel.

Outra ferramenta legal para encontrar passeios e tours é a Get Your Guide. Essa é uma empresa que seleciona tours em todo o mundo e você pode reservar os passeios com antecedência sem sair de casa. Os preços deles são ótimos e tem muita coisa em Português! Além dessa, eu uso bastante a Tiqets, que tem a vantagem de dar os bilhetes no celular, sem precisar imprimir.

Para quem viaja de carro, aqui vai um post com dicas para alugar um carro pela Europa. A lógica é parecida para outros continentes. Para comparar as tarifas das locadoras, eu uso o site da Rental Cars que já coloca todos os preços juntos e poupa um tempo danado!

Recentemente eu descobri a Seguros Promo para quem precisa cotar seguro de viagens ao redor do mundo. Como o seguro de viagem é obrigatório para muitos lugares, eles dão boas ofertas e 5% de desconto para os leitores do blog se você clicar neste link aqui.


Booking.com